quarta-feira, 9 de julho de 2008

PORTUGUÊS COM HUMOR

DICIONÁRIO BRASILEIRO DE PRAZOS
Para evitar que estrangeiros fiquem pegando injustamente no nosso pé, está sendo compilado o Dicionário Brasileiro de prazos (que já deveria estar pronto, mas atrasou...), do qual foram extraídos os trechos a seguir:


DEPENDE: Envolve a conjunção de várias incógnitas, todas desfavoráveis. Em situações anormais, pode até significar “sim”, embora até hoje tal fenômeno só tenha sido registrado em testes teóricos de laboratório. O mais comum é que signifique diversos pretextos para dizer “não”.


JÁ JÁ: Aos incautos, pode dar a impressão de ser duas vezes mais rápido do que “já”. Ledo engano – é muito mais lento. “Faço já” significa: “Passou a ser minha primeira prioridade”, enquanto, “Faço já já” quer dizer apenas “Assim que eu terminar de ler meu jornal, prometo que vou pensar a respeito”.


LOGO: “Logo” é bem mais tempo do que “dentro em breve” e muito mais do que “daqui a pouco”. É tão indeterminado que pode até levar séculos. “Logo chegaremos a outras galáxias”, por exemplo. É preciso também tomar cuidado com a frase “Mas logo eu?” que quer dizer “Tô fora”.


MÊS QUE VEM: Parece coisa de primeiro grau, mas ainda tem estrangeiro que não entendeu. Existem só três tipos de meses: aquele em que estamos agora, os que já passaram e os que ainda estão por vir. Portanto, todos os meses, do próximo até o Apocalipse, são meses que vêm!


NO MÁXIMO: Essa é fácil - quer dizer no mínimo. Exemplo: “Entrego em meia hora, no máximo”. Significa que a única certeza é de que a coisa não será entregue antes de meia hora.


PODE DEIXAR: Traduz-se como “nunca”.


POR VOLTA: Similar a “no máximo”. É uma medida de tempo dilatada, em que o limite inferior é claro, mas o superior é totalmente indefinido. “Por volta das 5h” quer dizer “A partir das 5 h”.


SEM FALTA: É uma expressão que só se usa depois do terceiro atraso. Porque depois do primeiro, deve-se dizer “Fique tranqüilo que amanhã eu entrego”. E depois do segundo, “Relaxa, amanhã estará em sua mesa”. Só aí é que vem o “Amanhã, sem falta”.


UM MINUTINHO: É um período de tempo incerto e não sabido, que nada tem a ver com um intervalo de 60 segundos e raramente dura menos que cinco minutos.


VEJA BEM: É o day after do depende. Significa “Viu como pressionar não adianta?”. É utilizado da seguinte maneira: "Mas você não prometeu os cálculos para hoje?" Resposta: "Veja bem..."


XIIII...: Se dito neste tom, após a frase: Não vou mais tolerar atrasos, OK? Exprime dó e piedade por tamanha ignorância sobre nossa cultura.


ZÁS-TRÁS: Palavra em moda até uns 30 anos atrás e que significava ligeireza no cumprimento de uma tarefa, com total eficiência e sem nenhuma desculpa. Por isso mesmo, caiu em desuso e foi abolida do dicionário.


(Reproduzido do site “Nossa Língua Nossa Pátria” de Eduardo F. Paes)

2 comentários:

Alice disse...

Huahuahauhauahuahau

mto bom esse dicionário !!!!!!!!! só vc mesmo !!!!!!

Então, de vez enquando, eu fico pra baixo né?! são coisas da vida rsrsrs
Mas não tem porque se sentir egoísta, nada a ver, eu não te pedi nada, vc não me negou nada, nem dei sinais de que estava pra baixo, eu sou assim mesmo, lembra da saia da Alice?! quando estou pra baixo, eu me escondo debaixo dela kkkkkkkkkk

relax e a vinda anda

Alice disse...

Heeeeeeeeeey, Kd a senhora por aqui?!
hã hã hã

Já to sentindo falta das palavras insanas rrsrsrsrs