quinta-feira, 3 de julho de 2008

FURACÃO EMOCIONAL

Me lembro que uma certa vez estava lendo um livro muito interessante, onde um profissional da Psicologia entrevistava outros profissionais – também da área “psi” – após uns 20/30 anos de profissão. E era o clima de conversas entre amigos (porque estudaram juntos na faculdade) que fazia da leitura um puro deleite... Era um prazer a leitura daquelas entrevistas, onde os profissionais-estudiosos-conhecedores do psiquismo humano se colocavam também como pessoas, que sofriam, que duvidavam do futuro, que questionavam ao mundo e a si mesmos... Eram pessoas, simples mortais....e era só. Esta simplicidade e tamanha humildade me traziam o consolo, e posso dizer que ainda traz, de que não preciso saber tudo, de que não preciso me cobrar tanto a ponto de me maltratar.... Eu posso sim ser uma profissional que escuta a angústia dos outros, mas isso não significa que eu não tenha as minhas. Afinal, até os médicos ficam doentes. Tenho um amigo que perdeu o pai para um câncer, e o pai dele era médico-oncologista.... Pois é, podemos perder para aquilo que tentamos afastar a todo custo.

Maaaas, às vezes precisamos parar de agir como fortalezas e perceber nossa angústia... somos pessoas também.... E sim, nós também choramos...

Uma vez um amigo me perguntou “se um psicólogo precisa se tratar com outro psicólogo, como que fica o primeiro psicólogo?”. É aí que entram os amigos-aprendizes-estudiosos-pesquisadores do psiquismo... Quem sabe não serão esses que eu entrevistarei daqui a alguns anos com aquele mesmo clima de conversa gostosa e descontraída. Foi nessa conversa com uma amiga-pensante-Vaneska-Alice-nos país das maravilhas-Donato (que por sinal sempre me põe a pensar quilômetros) que me peguei nesta angústia do “quem eu sou?”, “quem eu quero ser?”, “quem eu sou pode se tornar o que quero ser?”. Essa dinâmica tão complexa do ser-em-si e ser-no-mundo que nos apavora e nos põe a prova.

(INÍCIO DA SESSÃO)

Vaneska: Você é bissexual?
Thaiz: Não.

(SURGE A RESISTÊNCIA...)

Ai...já estou ficando nervosa... Acho que perdi a calcinha (rssss....).

Vaneska: Porque perdeu a calcinha?
Vergonha......acho que estou prevendo perguntas estranhas.

Vaneska: Porque faz Psicologia?
Antes eu dizia que queria ajudar os outros.... Quanta prepotência!!!! Eu é que sou uma perdida precisando de ajuda.

Vaneska: Porque se considera uma perdida?
Porque preciso me encontrar?????? rs.... Um dia eu me encontro e em outro eu me perco novamente, mas um dia eu dou de cara comigo na esquina....rs.

(CONFRONTO)

Vaneska: Mas, não acha que essa é a dinâmica real das pessoas?
Não sei.....essa pergunta eu me faço todo dia, e consigo respondê-la nos dias em que me encontro.

Vaneska: Mas o que seria de fato se encontrar, e como é esse “estar perdida”?
Que pergunta mais “psi”.... Essa pergunta é difícil, deixa ela por último.

(SUAVIDADE NA SESSÃO... MOMENTO CALMARIA)

Vaneska: O que você precisa para ter um dia satisfatório?
Sentir que tenho capacidade para realizar algo que tem importância pra mim....

Vaneska: O que tem importância pra você?
Certamente essa resposta mudará em 5 anos, mas hoje o que tem importância pra mim é deixar minha marca.

(TERAPEUTA PROPÕE UMA REFLEXÃO)

Vaneska: Você pensa em como fazer isso?
Em primeiro lugar.....me formar (e que coisa difícil...rs)

......

Eu tô me sentindo entrevistada...e isso tá me apavorando...

Vaneska: Isso é bom ou ruim pra você? Não o “apavorando”, mas provocar essa sensação...
É angustiante....

Vaneska: Você já teve alguma vontade estranha?
Vontade de matar a mãe não é estranho né!?

(risos)

Vaneska: De forma alguma!!!


(risos)

Então tá...

(risos)

Vaneska: Qual a coisa mais corajosa que considera que já fez na vida?
Pulei de bungie jumping.

(MOMENTO PROJEÇÃO DA PACIENTE)

Vaneska: Como se sentiu e o que fez depois? (Fábulas)
Não sei...faz tanto tempo.... (RESISTÊNCIA)

(risos)......Momento loucura no divã

Vaneska: Uma criança diz baixinho, ai que medo... do que ela tem medo?
Dos pais descobrirem que ela quebrou o vaso da Dinastia Ming da mãe dela.

Vaneska: Bem, pode ser.... mas essa criança é você mesmo?!
Não quanto ao vaso, mas faço isso sempre (minha mãe manipuladora).

(APÓS VÁRIOS MINUTOS DE SESSÃO A PACIENTE CONSEGUE APROFUNDAR-SE NO SEU INCONSCIENTE...RESISTÊNCIA BAIXA)

Vaneska: Lá veio a mãe novamente.... (risos)
Se considera uma pessoa manipulável?
Depende do dia.....
Vaneska: Porque?
Há dias que quase me perco em mim mesma e acho que vou morrer (de tanto medo), o medo da aniquilação.... Mas no outro eu acordo certa que posso matar leões.

(OPA...SERÁ QUE ISSO É UM DIAGNÓSTICO????)

Vaneska: Você é bipolar?
Não sei ainda.....mas já ouvi isso várias vezes de caras beeeeem sérias! (risos)

.......

Ah, já tenho resposta sobre a pergunta do medo.

Vaneska: Então diga...
Eu tenho medo do tempo...... Não de envelhecer, mas de envelhecer sem ter feito nada que diga quem eu sou. Quero poder me olhar no espelho e dizer: eu fiz isso, eu consegui... (TERAPEUTA SOLTA O VERBO.... DEVOLUTIVA)

Vaneska: Percebi pelo “ensaio” que tinha dito que tem medo... Quando eu falei que a vida não permite ensaios aí você disse: “eu tenho medo disso”.
É verdade.

Vaneska: É porque você hesita muito né?! Pensa demais...
Muuuuito..... e sofro por querer arriscar, mas não dou um passo adiante e durmo chorando, pensando "eu quero!", e penso “mas...quem sabe amanhã?”

Vaneska: Não é nem um pouco impulsiva né?!
Eu não sei ainda...... Eu tenho algumas perguntas sobre mim e essa é uma delas.

(CONFRONTO FINAL)

Vaneska: Então pergunte pra mim e eu tento te responder. O que acha?
Eu sou impulsiva?

Vaneska: Acho que tem a impulsividade, mas a bloqueia. Os dias de leão, e o dia de se deixar manipular. Talvez tenha a impulsividade necessária - o que é bom, mas ainda tem algumas fraquezas....
Vááárias.

Vaneska: Nem tantas assim....

Óóóó....valeu.

Vaneska: Quer saber alguma coisa de mim?!

Se fosse um bicho pequeno, aonde se esconderia de sua presa??????????

Vaneska: Atrás dela.


Na bunda?

Vaneska: Não, só ficaria atrás.


(ATÉ O NOSSO PRÓXIMO ENCONTRO.... PENSE NAS COISAS QUE CONVERSAMOS E PERMITA-SE SENTIR UM POUCO DE MEDO....

AHHH....VOCÊ É NORMAL!!!!


MAS O QUE É NORMAL????

ISSO É ASSUNTO PARA A PRÓÓÓÓXIMA SESSÃO...

HUNF!) frustração....

(FIM DA SESSÃO.... TODOS SE SALVARAM....)

2 comentários:

Alice disse...

Aaaaaaaaaai senhora Tata, só vc mesmo...... adorei minha apresentação!!!!!
E cara, mto bom reler essa nossa conversa, fora que vc é ótima em auto-análise, ganha de mim disparada!!!!!
Espero que nossa amizade se mantenha, espero poder trocar muito com você, espero passar os anos e que a gente possa fazer como esses amigos do texto em que leu, afinal, nossa profissão é de "super-heroínas" sobre olhares desatentos, mas por debaixo da capa, é... seres humanos em meio ao ser em si e o ser no mundo, e com uma faaaaaaaaaaaaaalta. Amém

Alice disse...

Aaaaaaaaaaa
vc está me devendo suas novas articulações !!!!!!!!

to "perando"